Executivo

EM APARECIDA: Novo secretário assume pasta da educação em meio a pandemia e aponta alternativas para não prejudicar o ano letivo; CONFIRA.

As aulas da rede municipal de ensino do município de Aparecida estão paralisadas desde 21 de março, após deliberação expedida pelo prefeito Valdemir Oliveira no decreto de nº 831/2020, que estabelecia como medida urgente, o isolamento social da população durante o período excepcional do surto do novo coronavírus. Além disso, decretava que as aulas estariam suspensas até segunda decisão. Com o avanço da doença outros decretos iam sendo publicados, e consequentemente o adiamento da volta às aulas; e continua até o presente momento devido o agravante da Covid-19 no país.

A secretaria ficou sem poder desenvolver suas atividades nesse período. Recentemente com a vagância da pasta, o prefeito convidou o professor Gildeone Lopes, com formação em matemática, e com uma bagagem na área da educação há bastante tempo. A sua paixão por ensinar, e atuar no setor educacional, é uma herança proveniente de sua mãe, que foi uma das grandes educadoras da região. Ela teve desde cedo à iniciativa de montar uma escola de ensino particular no município, aonde o filho deu sequencia, e hoje na família, completam um ciclo de 21 anos de trabalho dentro da educação de ensino particular, com ótima referência na cidade.

Com base nessa trajetória, o atual secretário, admite que um dos motivos que o levou a aceitar a pasta da educação, mesmo sendo conhecedor dos desafios, de estar bem no epicentro de uma crise de pandemia; foi poder ajudar e colaborar com o município através de seus conhecimentos e principalmente de sua experiência. Ele lembra, assim que saiu o decreto que determinou a paralisação das aulas, a sua escola começou a levar o conteúdo estudado para plataformas nas redes sociais, alcançando bons resultados. Já faz (61) sessenta e um dias que estar com aulas remotas – “Deixar bem claro que as aulas remotas, elas não tem um modelo totalmente engajador para trabalhar com crianças, você trabalhar com jovens, com adultos, mas com crianças já é difícil, principalmente a pré-escola, no caso a idade da creche. O cronograma que estamos propondo dentro da secretaria de educação, é contemplar todo mundo, da idade de cada criança, dentro da modalidade, da proposta de cada ensino, contemplar desde crianças de 1 ano até o EJA. Todos aqueles que estejam matriculados no município. Estamos com a proposta pra isso. Sentei com a parte técnica que trabalha na secretaria, e já vimos os parâmetros, conversamos com a parte da supervisão, estamos construindo esse cronograma. E posteriormente iremos sentar com diretores até chegar aos professores. E depois dos professores, chegar à parte que é primordial, até as famílias e os alunos” – pontuou.

Essa é uma das alternativas apontada pelo secretário que pode ser viabilizada no município, e assim as ações na educação começar a caminhar. Ainda é uma proposta a ser estuda, já tendo como pensamento de não penalizar os alunos e nem a grade curricular que estar sendo criada para esse momento, e que os alunos não fiquem parados – “Sabemos das dificuldades que nem todo mundo tem acesso à internet, acesso a tecnologia; estamos pensando numa maneira de incluir todo mundo. Porque educação é inclusão. A maior preocupação nossa é essa, trabalhar com quem tem o acesso à internet, e com quem não tem acesso. Tem muitas ideias já traçadas, nos próximos dias vamos colocar algumas coisas em prática, e construir o projeto para lançar tudo oficialmente” – reforçou.

Segundo o secretário ainda nas primeiras semanas de junho, estará colocando o cronograma piloto das aulas online, divididas em parte e por modalidades. Separando crianças no ano de creche, que é até 3 anos, essa tem uma proposta com vídeos aulas, contação de histórias, jogos interativos com atividades que trata a socialização da criança, e trabalhe a coordenação motora, como a pintura. Já na idade de 4 e 5 anos, pré escola, tem uma grade curricular, que já trabalha com eles, e vai permanecer com o conteúdo, orientado por meio de vídeos. Aos alunos que não tiverem acesso online, vão ser entregue um roteiro impresso juntamente com as atividades, orientando aos pais de como deve fazer. Já no fundamental 1 a proposta vai entre material impresso, vídeos aulas, e até outras ideias que serão elaboradas. Para chegar aos alunos que moram na zona rural, que tem dificuldade com o acesso a internet, outros meio de comunicação poderão ser utilizados.

A frente da secretaria desde o dia (15), o secretário tem enveredado no sentindo da organização do trabalho, providenciando uma estrutura possível pra esse período de pandemia. E criando mecanismos para colocar as coisas em funcionamento. Já tem marcado algumas ações, para as semanas subsequentes, no sentido de organizar as escolas, para quando voltar às aulas presenciais estará com tudo pronto. E se não voltar tão logo, estará cobrindo essa defasagem com as aulas remotas.

Fabio Kamoto

Especialista em Marketing Político e Digital, Publicitário, Radialista, atua desde 2006 no jornalismo político. Passou pelas pelas Rádios Progresso e Jornal AM, Sousense FM, Líder FM e Mais FM.

Leia também

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo